CANAIS INTERATIVOS

Canal HMTJ

02 de outubro de 2016

Outubro Rosa: tempo de prevenção

 

O Outubro Rosa é inteiro dedicado à sensibilização contra o câncer de mama, o tumor maligno mais comum em mulheres e o que mais leva as brasileiras à morte, segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca).

Mas o período acabou ganhando um caráter de campanha pela saúde feminina, quando se discute também o câncer de colo de útero e a prevenção do estresse e outros fatores de risco da vida moderna que levam as mulheres a adoecerem cada vez mais.

Mas este é um alerta contra o câncer de mama, que se caracteriza por um crescimento rápido e desordenado de células, afetando as glândulas formadas por lobos, que se dividem em estruturas menores chamadas lóbulos e ductos mamários. Porém, nem todo tumor na mama é maligno e ele pode ocorrer também em homens (mais raro). 

O câncer de mama é relativamente raro antes dos 35 anos, mas acima dessa idade sua incidência cresce rápida e progressivamente. É importante lembrar que. A maioria dos nódulos (ou caroços) detectados na mama é benigna, mas isso só pode ser confirmado por meio de exames médicos.


Quando diagnosticado e tratado ainda em fase inicial, isto é, quando o nódulo é menor que 1 centímetro, as chances de cura do câncer de mama chegam a até 95%. Tumores desse tamanho são pequenos demais para serem detectados por palpação, mas são visíveis na mamografia. Por isso é recomendado que toda mulher faça uma mamografia por ano a partir dos 40 anos.


FIQUE ATENTA: 
. Se não fez sua mamografia no último ano, não deixe passar outubro em branco. Só o diagnóstico precoce e tratamento adequados ajudam a evitar sequelas, mutilação e outras consequências psicológicas de uma doença como esta. 
. FATORES DE RISCO: de forma geral, não há causa única. Alguns fatores são modificáveis, outros não. O histórico familiar é um importante fator de risco não modificável e mulheres com parentes de primeiro grau (mãe ou irmã) que tiveram a doença antes dos 50 anos podem ser mais vulneráveis.Já os fatores de risco estão relacionados ao estilo de vida, como o excesso de peso e a ingestão regular (mesmo que moderada) de álcool. No entanto, a adoção de um estilo de vida saudável nunca deve excluir as consultas periódicas ao ginecologista.
 . SINTOMAS: 

  • inchaço em parte do seio;
  • irritação da pele ou aparecimento de irregularidades, como covinhas ou franzidos, ou que fazem a pele se assemelhar à casca de uma laranja;
  • dor no mamilo ou inversão do mamilo (para dentro);
  • vermelhidão ou descamação do mamilo ou pele da mama;
  • saída de secreção (que não leite) pelo mamilo;
  • caroço nas axilas.

 

Fonte: www.mulherconsciente.com.br

 

 


Canais Interativos

ASSINE A NOSSA NEWSLETTER

Para receber as últimas notícias e atualizações

(32) 4009-2277
Rua Dr. Dirceu de Andrade, n° 33, Bairro São Mateus,
Juiz de Fora - MG, 36025-140

VEJA ABAIXO COMO CHEGAR